O papel das OSCs na abordagem da pandemia de COVID-19

Queridos membros

Saudações da CGE

Esperamos que todos estejam bem e seguros, e que tomem todas as medidas de precaução descritas pela Organização Mundial da Saúde e seu Ministério da Saúde para se protegerem e os seus familiares e amigos. A COVID-19 é uma emergência global e esperamos que todos estejam encarando a situação com a seriedade que merece. Mesmo que seu país esteja relativamente poupado por enquanto, o mês passado mostrou que tudo pode mudar em uma fração de segundos. As medidas rigorosas da Organização Mundial da Saúde (OMS) de distanciamento social e higiene pessoal provaram ser muito eficazes para interromper o crescimento exponencial do vírus. Durante as crises, muitos desafios de comunicação surgem; portanto, mantenham a calma em caso de falta de informações, estejam atentos a notícias falsas, e compartilhem apenas informações confiáveis e verificadas.

Como movimento global, gostaríamos de expressar nossa solidariedade às pessoas mais afetadas e reafirmar nosso compromisso de apoiar todos vocês e seus membros nesses tempos difíceis. Incentivámos todos a compartilhar suas experiências e opiniões, para que todos possamos nos beneficiar dos aprendizados de cada um e garantir que permanecemos fortes juntos. Fornecemos esta plataforma e este e-mail para que todos possam compartilhar notícias ou fazer perguntas e sugestões que gostariam de compartilhar com a rede.

Como movimento, apoiamos a decisão de muitos governos de fechar escolas, observando que mais de 800 milhões de crianças e jovens adultos serão privados de seu direito à educação. No entanto, devemos permanecer vigilantes e continuar a conscientizar sobre os seguintes problemas.

A crise atual é uma oportunidade para reafirmar o papel fundamental que as organizações da sociedade civil devem desempenhar como um parceiro-chave em situações de emergência. Precisamos garantir que a educação em emergências seja levada a sério a nível global e que novos cenários e planos de contingência estejam preparados para estar à altura do desafio. Soluções como ensino à distância devem ser exploradas, adaptadas aos requisitos do seu contexto e às diferentes capacidades dos alunos.

 

Também incentivamos todos a jogar um papel na promoção da conscientização e educação em saúde, bem como na circulação de informações para aumentar o nível de práticas de saúde e mudança de comportamento. Também será necessário fornecer atividades de apoio psicossocial e emocional para pais e filhos.

Em particular, gostaríamos de agradecer a todos vocês por seus esforços e a nossos professores, que estão na vanguarda da atual crise. Eles serão essenciais para garantir a manutenção do direito à educação para todos, e sua criatividade dependerá da busca de soluções para o ensino a distância em situações difíceis.

Além disso, como movimento, incentivamos todos os nossos membros a trabalhar lado a lado com os governos para fornecer soluções alternativas para a crise. Não devemos apenas propor recomendações, mas também colaborar com os governos para encontrar soluções alternativas a fim de continuar oferecendo educação pública gratuita e de qualidade para todos. Aconselhamos a todos que permaneçam vigilantes para garantir que o direito à educação para todos seja protegido por todos os atores. Essa é uma situação crítica que coloca os sistemas públicos sob pressão, e é hora de trabalhar lado a lado com eles para fortalecer os esforços coletivos. Estamos cientes dos desafios locais, regionais e internacionais que todos os governos estão enfrentando atualmente como resultado dessa crise, e os atores da sociedade civil devem apoiá-los como um parceiro valioso.

Nos últimos 20 anos, a CGE vem defendendo que a educação e a saúde tenham vínculos fortes, e destacando como esses dois direitos humanos fundamentais devem permanecer bens públicos. Esperamos que esta crise permita aos líderes mundiais desenvolver melhores sistemas que possam ser eficazes e responder a crises em tempo hábil.

Nestes tempos difíceis, gostaríamos que todo o movimento estivesse atento às seguintes questões importantes:

  • Garantir que governos e ministérios incluam as OSCs no desenvolvimento de planos de contingência.
  • Pressionar governos e organizações internacionais que trabalham com a saúde e educação para atribuir orçamentos para atividades de educação em emergências. Os planos precisam de orçamentos dedicados.
  • Jogar seu papel na avaliação dos planos e garantir que o apoio seja bem coordenado e harmonizado.
  • Ressaltar a complementaridade entre saúde e educação e o foco na avaliação do ambiente escolar e da infraestrutura de WASH.
  • Exigir que os governos e as OSCs equipem as escolas e melhorem a prontidão dos ambientes escolares para os alunos e a equipa no período de recuperação.
  • Jogar seu papel de pressionar as mídias pública e privada a cobrir cuidadosamente o assunto nesta circunstância, incluindo garantir que essas informações sejam acessíveis a pessoas com deficiência e pessoas que vivem em áreas remotas.
  • Responsabilizar os governos por sua prontidão e pela qualidade de sua preparação.
  • Participar ativamente das reuniões do Grupo de Educação e fortalecer os debates sobre o direito à educação para todos.

Percebemos que estas são medidas imediatas que abordam a situação atual, e que apoiaríamos e forneceríamos soluções aos governos para alcançar resultados. Quando a crise terminar, avaliaremos as respostas de nossos países e reafirmaremos que não é razoável esperar uma crise para perceber que as organizações da sociedade civil são parte integrante da solução. É hora de a integração e a parceria serem uma prática autêntica, refletida em toda a relação entre organizações da sociedade civil e governos. Fiquem seguros, respeitem as orientações das autoridades de saúde, e cuidem de si e dos outros.

Em solidariedade

Samuel Dembele e Refat Sabbah

Em nome do Conselho



Deixe uma resposta