• gaw 2015 banner pt

social fsocial Psocial tsocial yt

read our blog en 2

blog button

A nossa Direção

A Campanha Global pela Educação é uma organização associativa dirigida pelos seus membros, através de uma Assembleia Geral (que se realiza de três em três anos), e por uma Direção eleita.

A Direção representa os vários grupos: dois representantes da Internacional de Educação, dois da Marcha Global contra o Trabalho Infantil e dois de organizações não governamentais internacionais. As várias regiões estão representadas por: dois lugares cada para África, Ásia e América Latina, um representante para o Médio Oriente e Europa /América do Norte. O Presidente, Vice-Presidente, Diretor e Subdiretor

da CGE são eleitos pela Direção.

Presidente:

camilla boardCamilla Croso

Camilla Croso é brasileira e coordenadora da Campanha da América Latina pelo Direito à Educação (CLADE), uma rede que representa 15 fóruns nacionais de Educação, 8 redes regionais da América Latina e 5 ONG Internacionais com forte presença na região. A CLADE procura influenciar os decisores políticos tanto a nível regional como a nível nacional e internacional.

Camilla Croso licenciou-se na Universidade de São Paulo em 1994 e fez um mestrado em Política Social e Planeamento em Países em Desenvolvimento na London School of Economics em 1998. 


Entre 2003 e 2007, coordenou o programa Education Watch da Ação Educativa, uma ONG brasileira chave, centrando-se na investigação e monitorização das políticas públicas de educação, procurando promover a capacitação da sociedade civil de modo a ter mais influencia no debate sobre educação e o processo decisório. Entre 1999 e 2003 foi a primeira coordenadora da Campanha Nacional Brasileira para o Direito à Educação.


Entre 1994 e 1997, trabalhou no escritório Regional da América Latina da Fundação Kellogg. Foi também consultora de várias organizações, incluindo a Comunidade Europeia, e é autora de uma série de artigos e livros na área da educação e direitos, sendo o último ‘Igualdade de Relações Éticas nas Escolas’ (2007).

Em 2000 Camilla participou, em Dacar, no Forum Mundial pela Educação integrando o Comité de Redação – como representante da sociedade civil – que redigiu o texto do Quadro de Ação de Dacar.

Camilla pertenceu anteriormente à Direção da CGE como representante da Campanha Nacional do Brasil pelo Direito à Educação e, em janeiro de 2008, foi eleita representante da Campanha da América Latina pelo Direito à Educação.

Presidente da Direção:

monique boardMonique Fouilhoux

Monique Fouilhoux é Secretária Geral Adjunta da Internacional de Educação.

Monique nasceu, estudou e vive em França. Completou uma licenciatura e um mestrado na Universidade de Clermont-Ferrand em França.

Iniciou a sua carreira como funcionária pública no ministério da administração interna e entrou para a universidade de Clermont-Ferrand em 1973 quando foi criado o Departamento de Educação Contínua e para Adultos.


Envolvida no movimento sindical, foi eleita secretária geral adjunta do SNPTES e em 1987 foi eleita Secretária Nacional do Sindicato Francês de Educação (FEN), conhecido hoje como UNSA-Education.

Monique Fouilhoux trabalha com a Internacional de Educação (EI) desde a sua criação em 1993. Trabalha em várias áreas, especialmente em questões de educação superior e investigação e o impacto da AGCS e dos Acordos Comerciais na educação. Trabalha com afiliados da EI, agências intergovernamentais e organizações não governamentais. Está especialmente envolvida com os temas mais prementes que tocam académicos e investigadores, como condições de trabalho, carreira, liberdade académica, mobilidade. Monique é também Secretária do Comité Permanente Europeu para a Educação Superior e Investigação da EI (HERSC) e moderadora da Rede on-line de Educação Superior e Investigação do CSEE.

  • Membro eleito do Conselho francês para a Educação Superior e Investigação (1989-1994)
  • Membro do Conselho Administrativo da CNRS (Centro Nacional de Pesquisas Científicas) (1989-1990)
  • Membro do Conselho francês para a Investigação e Tecnologia (1989- 1990)
  • Como representante da EI na UNESCO, foi membro do comité de ligação da ONG e Presidente da Conferência Internacional de ONG da UNESCO entre 1998 e 2003.
  • Membro do Comité de Seguimento da UNESCO da Conferência de 1998 sobre Educação Superior.
  • Membro do Conselho Editorial do Relatório de Monitorização Global da Educação para Todos desde 2004.
  • Membro do grupo de seguimento de Bolonha deste 2005.

 Vice Presidente:

jen boardJennifer Chiwela

Jennifer Chiwela trabalha em educação há 42 anos. Devido à sua vasta experiência profissional e ao trabalho em desenvolvimento, tanto a nível de aldeia como a nível internacional, ela compreendeu e reconhece que a educação é um direito humano fundamental. Jennifer é Zambiana e é Presidente da Africa Network Campaign on Education for All (ANCEFA).

Jennifer é também cofundadora do People's Action Forum, e de organizações não governamentais indígenas criadas para ajudar a reforçar as capacidades das comunidades rurais através da educação, tanto formal como não formal. Através das atividades do programa da organização a Sr.ª Chiwela envolveu-se ativamente na iniciativa Educação para Todos, tomando parte, com outras ONG, no processo nacional de avaliação em 1999. Participou também na consulta Internacional às ONG/OSC no Forum Internacional da Educação em Dacar, Senegal. Antes tinha pertencido ao governo da Zâmbia como presidente da Comissão do Serviço Educativo da Zâmbia.

Vice-presidente da Direção:

maria boardMaria Khan

Maria Khan foi Secretária Geral do Asia South Pacific Bureau for Adult Education (ASPBAE) desde 1995. A ASPBAE contribuiu com intervenções no Forum Mundial de Educação em Dacar, 2000, garantindo que a alfabetização dos adultos fosse incluída na agenda de Dacar.

Apesar de agora viver na Índia nasceu e viveu nas Filipinas. Obteve uma licenciatura em Administração de Empresas na Universidade das Filipinas e foi ativista estudantil na era de Ferdinando Marcos. Esteve profundamente envolvida no movimento anti ditatorial antes de trabalhar no desenvolvimento rural e fazer um mestrado em Desenvolvimento Rural na Universidade de East Anglia. Foi através do seu trabalho neste sector que se apercebeu que a educação era essencial no esforço para permitir a participação dos cidadãos e a transformação social.

Maria Khan é perita em trabalho de incidência política e criação de coligações tendo trabalhado com muitas redes públicas de base e ORC (Organizações Radicadas na Comunidade). Fez trabalho ASPBAE em investigação e documentação e encorajou o nascimento bolsas para o público base para preencher o vazio numa investigação predominantemente baseada no norte sobre a educação de adultos.

Membros da Direção:

bright boardBright Appiah

Bright Appiah, do Gana, é Diretor Executivo da Child Rights International, uma ONG que funciona no Gana desde 1997 e Presidente Executivo da Coligação Campanha de Educação Nacional do Gana (GNECC). Bright acredita no princípio de dar a cada criança a oportunidade de se valorizar para criar uma sociedade mais justa e equitativa. Assim é preciso dar apoio àqueles que apenas precisam de uma pequena ajuda para criar uma sociedade equilibrada em que as responsabilidades possam ser partilhadas e os problemas possam ser resolvidos em conjunto. 

Principais êxitos da GNECC:

  • Uma rede de mais de 300 OSC, grupos profissionais, instituições de educação /investigação.
  • Adoção da Lei da Educação (2008).
  • Adoção da Política de Educação Básica gratuita i.e. (Capitation Grant Policy)-(2005)
  • Criação de incentivos aos professores, como motivação (2006)
  • Política que oferece a farda escolar e os livros de exercícios gratuitamente (2009)
  • Aumento da Capitation Grant de 3 para 4.5 GHC (2009)
  • Subsídio de 20% para os professores rurais (2009)
  • Política de disponibilização de instalações que tenham em conta o género no Plano Estratégico de Educação 2010-2020
  • Participou a vários níveis no novo Plano Estratégico de Educação 2010-2020 e no processo que levou à candidatura do Gana ao apoio do fundo FTI em 2011


david boardDavid Archer

David Archer é Chefe do Programa de Desenvolvimento na ActionAid International. Nos anos 1980 trabalhou em programas de alfabetização na América Latina, inspirado em Paulo Freire. Nos anos 1990 esteve envolvido no desenvolvimento da abordagem Reflect na educação de adultos, sendo coautor de "The Reflect Mother Manual" (1996) e "Communication and Power" (2003). O seu trabalho de incidência política na alfabetização adulta contínua, nomeadamente através do desenvolvimento do International Benchmarks on Adult Literacy: Writing the Wrongs (GCE 2005).

David apoia agora coligações e campanhas sobre o direito à educação em África, Ásia e América latina. Uma importante preocupação nos últimos três anos foi questionar o papel do FMI na restrição de gastos com a Educação, especialmente com professores. Foi coautor de várias publicações da CGE e ActionAid: Compromissos Contraditórios (2005), Cancelling the Caps (2006) e Confrontar as Contradições (2007). Em 2006 fez parte de um Painel Externo que reviu o investimento do Banco Mundial de $14 mil milhões em educação desde 1990 e faz agora parte de um painel de consulta internacional que dirige a avaliação da Iniciativa de Aceleração da EPT. É copresidente do Fundo de Educação da Commonwealthe gestor do Projeto Direito à Educação. O seu último livro chama-se "A Política de Prevenção: Uma Crise Global - SIDA e Educação" (Pluto Press 2008). David vive em Londres.


rashida boardRasheda Choudhury

Rasheda é Diretor Executivo de CAMPE, uma rede de mais de mil ONG de educação e grupo de educadores do Bangladeche. É bem conhecido pela sua capacidade de mobilizar milhões de pessoas, particularmente a nível do cidadão comum, como demonstrado durante a Semana de Ação Global cada ano.

Secretário, Education Watch, a maior iniciativa académica da sociedade civil que regularmente revê o estatuto da EPT no Bangladeche. Granjeou grande reconhecimento a nível nacional e internacional e inspirou iniciativas Watch, a favor da CGE e em cooperação com a ASPBAE e ANCEFA, noutros países das regiões Ásia-Pacífico e África.

Membro fundador do Conselho da CGE. Membro fundador da GCAP e atualmente mediador do Forum do Povo (PFM), coligação parceira da GCAP no Bangladeche. Conselheiro (Gabinete de Ministros) do Governo do Bangladeche em 2008. Este cargo implicou tomadas de decisões ao mais alto nível, particularmente nos Ministérios de Educação Primária e Generalizada, Cultura, Questões relacionadas com as Mulheres e Crianças. Escreve regularmente em jornais nacionais e participa em debates de importância nacional e internacional relacionados com questões de desenvolvimento, particularmente sobre o direito à educação e justiça de género.

alberto boardAlberto Croce

Alberto representa a Campana Argentina por el Derecho a la Educacion (CADE). É também o fundador e Presidente da Fundação SES (Argentina). É um conhecido educador e professor. Representa Organizações Sociais e de Educação no Conselho de Políticas de Educação do Ministério da Educação e pertence ao Conselho Nacional de Coordenação do Programa Nacional de Inclusão na Educação.

Alberto é também fundador e membro da Plataforma de Educação de Organizações Socais para o Mercado Comum do Sul (MERCOSUR).

A Fundação SES foi criada para promover o direito dos jovens e desenvolve os seus programas com este objetivo.

Foi designado representante de Organizações Sociais no Conselho Consultivo Ibero americano para os Objetivos 2021.

É membro do Conselho de Administração e Coordenador da Comissão Internacional de Financiamento para o Desenvolvimento da Rede Latindadd e representante desta rede na Comissão da UNESCO sobre troca da dívida para o investimento social.

helle boardHelle Gudmandsen

A coligação dinamarquesa existe desde 2000 (membro da CGE desde 2009) e é composta por 33 organizações. A coligação tem um papel vital no debate dinamarquês sobre a EPT e tem uma sólida base para fazer lobby pela educação. A coligação tem um coordenador a tempo parcial e um escritório com o membro IBIS (ONG Internacional que trabalha em África e na América Latina).

Helle Gudmandsen é a coordenadora da Campanha para IBIS encarregue da Semana de Ação Global na Dinamarca (SAG). A IBIS é membro internacional da CGE há cerca de 10 anos e montou a Campanha na Dinamarca. A campanha chega a metade das escolas da Dinamarca: 200.000 alunos e 10.000 professores. É bem conhecida e muito respeitada pelas autoridades dinamarquesas. Helle tem 48 anos e foi professora e vice-diretora na Dinamarca. Trabalhou no programa de educação da UNESCO Breaking the Silence (quebrar o silêncio) desde 2000, e de 2002 a 2007 na IBIS para a África do Sul, com base no Ministério da Educação, apoiando o desenvolvimento de um novo currículo. É coordenadora da SAG desde 2008, desenvolveu material pedagógico para a campanha e apoiou o programa de educação da IBIS para o Gana.

elie boardElie Jouen

Elie Jouen é membro da direção da Marcha Global contra o Trabalho Infantil. Antes da sua recente reforma Elie Jouen foi também Secretário Geral Adjunto da Internacional de Educação. Elie Jouen vive em França.

Estudou na “Ecole Normale de Rouen” e no "Institut des Etudes Politiques de Paris", em França. Desde muito cedo na sua carreira assumiu responsabilidades sindicais, tanto a nível departamental como nacional e, em 1978, tornou-se Secretário Nacional do Sindicato Francês da Educação, o FEN, hoje conhecido como UNSA-Educação.

Em 1980, tornou-se Assistente do Secretário Geral da International Trade Secretariat of Education(ITSE), e mais tarde Vice-Secretário Geral. Durante a formação da Internacional de Educação (IE), em 1993, foi nomeado Vice-Secretário Geral. Como tal Elie organizou e supervisionou muitas atividades da EI em África, na América Latina, Ásia e Europa Central e Oriental, mais especificamente nas áreas de Educação e Cooperação para o Desenvolvimento.

Elie mantém relações estreitas com muitas organizações intergovernamentais como o Banco Mundial, OIT, OMC, OCDE e UNESCO.


assibi boardAssibi Napoe

Assibi Napoe é a principal Coordenadora Regional do Escritório Regional Africano da Internacional de Educação. Assibi é desde há muito membro da Direção da Campanha Global pela Educação. Ela foi eleita Diretora pela direção, em janeiro de 2008.  Assibi vive e trabalha no Togo.


refaat boardRefaat Sabbah

Refaat é diretor doCentro de Criatividade do Professorna Palestina, Presidente daRede Árabe de Direitos Humanos e Educação para a Cidadania (ANHRE), e Diretor da recém criada Coligação Árabe para a Educação para Todos (ACEA).


imad boardImad Sabi

Imad Sabi, trabalha nos Programas Globais daOxfam Novibna Holanda, representa participantes de ONG Internacionais da CGE em nome da Oxfam Internacional. O seu papel na Oxfam Novib implica trabalhar com uma extensa rede global de agentes da sociedade civil. Anteriormente, Imad trabalhou em emergências, com responsabilidades em África e no Médio Oriente. O seu trabalho também o levou à Ásia Central, onde trabalhou como consultor.

No campo da educação, está bem familiarizado com a educação em situações de emergência e de pós-conflito, bem como com a promoção das capacidades de leitura entre os jovens.

Imad fez o mestrado em Políticas de Desenvolvimento no Instituto de Estudos Sociais em Haia e é atualmente doutorando em Ciências Políticas.


kail boardKailash Satyarthi

Nascido em 1954 em Vidisha, Índia, Kailash trabalhou para ajudar os alunos menos favorecidos desde muito novos. É o fundador daMarcha Global contra o Trabalho Infantil, aBachpan Bachao Andolan(Movimento Salve a Infância), Coligação do Sul da Ásia para a Servidão Infantil (SACCS), e do primeiro sistema do mundo de rotulagem social 'sem trabalho infantil' - RUMKARK.

Kailash lidera missões de ataque e resgate apesar de ter sofrido vários ataques à sua vida. Juntamente com os seus colegas do BBA libertou mais de 76.129 trabalhadores forçados e crianças trabalhadoras e ajudou a reabilitar e proporcionar educação a dezenas de milhares de crianças. Kailash ganhou vários prêmios internacionais: Prémio Internacional da Paz, Alemanha (1994), Prémio de Direitos Humanos Robert F. Kennedy - EUA (1995), Trumpeter Award (1995), Prémio Bandeira Dourada, Holanda (1998), Prémio La Hospitalet, Espanha (1999), Prémio de Direitos Humanos Raoul Wallenberg - USA (2002), Prémio de Liberdade, EUA (2006), Prémio do Departamento de Estado dos EUA 'Heróis que agem para acabar com a Escravatura Moderna' (2007), Medalha do Senado Italiano (2007).